capa.png

MOM PWR

Vou te contar um pouco sobre o MOM PWR e como ele nasceu.


Em 2013 tive a primeira perda gestacional e descobri o útero bicorno, tivemos outras 2 perdas, totalizando 3 (que sabemos) mas desconfiamos de mais.

A partir do diagnóstico e das perdas, lutamos para que pudéssemos ter nossos filhos. E conseguimos. Em 2015 nasceu o Samuel e em 2017 a Ana Liz, de gestações tranquilas. Com 2 anos e 5 meses de diferença entre eles, a minha vida passou a ser um tanto diferente depois dos dois. O cansaço se tornou rotina e um certo esgotamento físico e mental começou a se instalar em mim.

Senti que quando falava sobre a minha angústia, parecia sempre estar reclamando e muitas vezes, era julgada pelas pessoas a minha volta. Afinal, como eu poderia reclamar, se sofri tanto para ter os filhos que tanto desejei?

O Um Salto a Mais nasceu em 22/08/2016, antes da Ana Liz, já com intuito de levar informações as mulheres, como maternidade, autoestima e empoderamento. Além de abordar temas como a amamentação, depois de eu ter feito a formação para consultoria em amamentação.
Então, logo que Ana Liz nasceu, o Um Salto a Mais teve uma ramificação que foi o MOM PWR - um tempo para si mesma.

Reunimos 26 mulheres para falar sobre maternidade, sobre suas dores e forças, suas angústias e alegrias. O evento foi um sucesso e alcançamos outras 200 mulheres!

Logo, ele se expandiu a nível regional e em seguida, passou a ser digital, em razão da pandemia.  E por falar nela, foi e está sendo um momento difícil para as mães que acabaram acumulando ainda mais funções do que antes, fazendo com que muitas, entrassem em colapso mental e físico. Por isso, é fundamental cuidar das mães. Dar-lhes ouvido e atenção.

E é isso que o MOM PWR propõe: Acolhimento e empatia. Afinal, não existe receita de sucesso ou de fracasso para a maternidade. O que se sabe de certeza, é que a mãe precisa ser cuidada. Afinal, quem é que cuida da mãe que cuida?

Mesmo que os tempos tenham mudado e os nossos parceiros estejam muito mais participativos em sua paternidade do que antigamente. A nossa carga ainda continua pesada demais. Talvez não fisicamente, mas sem dúvida, mentalmente estamos estafadas.

No MOM PWR um tempo para si mesma, abordamos temas maternos, damos voz e ouvimos, compartilhamos em espaço seguro, encorajamos mutuamente. Ao mesmo tempo que defendemos que as mães não devem falar somente sobre estes temas e trazemos pautas importantes para qualquer mulher, como:

No módulo 1) Resgate: Quem é a mulher que se era antes de ser mãe? Quais seus sonhos e desejos mais profundos? O que você ama fazer? A prática de que se a Mãe está bem, todo o resto tende a ficar bem também.

2) Bem Estar: Qualidade de vida da mãe e da família.
Importância do autocuidado e aumento da autoestima. O valor da estética e do amor próprio. O tempo de qualidade sozinha, com amigas, em família. Proposta das #pausasprogramas . Descansar antes de se cansar. Cuidado mental, do que se pensa e do que se faz.

3) Carreira e Negócios: Empreender pós maternidade. Como as conexões promovem e unem bons propósitos. Porque apoiar os negócios de outras mulheres e mães. O caminho sem volta para o digital.

4) Finanças: As mudanças nas formas de consumo pós maternidade. Investimentos para si, para os filhos e para a família. Crenças limitantes e de prospecção.

5) Sexualidade: Como realizar-se sexualmente como mulher. Os caminhos do prazer feminino. O que é o clitóris e como ele funciona? Crenças e traumas que limitam a entrega na prática sexual. Os benefícios do orgasmo para a saúde.

 

O Programa MOM PWR é para a mulher que quer ir além. Para quem não sossega com pouco. Para quem quer ser abundante.

Para quem sofre com a culpa em demasia.
Para quem sente angústia no puerpério.
Para quem sente incapacidade em lidar com todos os seus papeis.